Archive for the 'Casual Cinema' Category

26
Nov
09

2001: A Space Odyssey

Hoje vou voltar a falar de cinema… mas ao invés de falar de elevadores homicidas, extra-terrestres electricistas, monstros no armário e piranhas voadoras assassinas… vou falar de um dos grandes clássicos cinematográficos de todos os tempos.

Confesso que fico algo preocupado (e triste) quando me apercebo que existe muite gente que desconhece o marco de ficção científica, “2001: A Space Odyssey” de Stanley Kubrick de 1968.

O filme de Kubrick é para muitos, um dos melhores filmes de todos os tempos e foi baseado nas obras de Arthur C. Clarke, “The Sentinel” e “2001: A Space Odyssey”, e lida com questões como a tecnologia, evolução humana, inteligência artificial e vida extraterrestre. È um filme importante a nível cultural, historico e estético e analisa a evolução da Humanidade, desde a aurora do homem, onde surgem os primeiros primatas capazes de usar instrumentos, efectuando de forma bastante brusca um avanço de milénios para o espaço colonizado onde o homem tornou-se prisioneiro dos seus próprios instrumentos, tendo que lutar com os mesmos para a sua própria sobrevivência. No final o homem enfrenta um último desafio, que o levará à imortalidade.

A película tem cerca de 150 minutos (o valor altera-se com as diferentes versões do filme), prescinde de diálogos em favor de imensa informação visual, tendo apenas 40 minutos de diálogo, que só surge após a meia hora de filme, o que faz com que grande parte do filme seja passado ao som de música clássica, ou em silêncio, tal como no espaço, onde não existe propagação do som, ou então ouvindo o som da respiração do ser humano dentro do fato espacial. O filme tem sempre presente um destes elementos, mas nunca existe uma conjugação entre estes elementos. O resultado de toda esta conjugação é algo de único, e raras vezes visto no cinema, remetendo-nos a uma realidade desconhecida e deixando-nos perplexos com a grandeza do universo. O facto de o filme ter uma forte componente visual, permite que a nossa imaginação especule sobre os diferentes significados sobre o que estamos a ver. Isto faz com que as pessoas tenham sensações diferentes a ver o filme, tirem conclusões diferentes com o mesmo, e que captem novos pormenores a cada nova visualização, tornando esta obra de Kubrick como uma das mais interessantes e controversas do cinema. Com um estatuto de obra de culto, o filme de Stanley Kubrick passou a ser objecto de estudo a nível escolar, tal como ainda é amplamente discutido pelas comunidades virtuais.

Trailer:

Vão a um videoclube, saquem da net, aproveitem quando ele der na TV… mas vejam este filme porque vale a pena e tem efeitos especiais que passado mais de 40 anos… ainda fazem corar de vergonha muitas produções actuais.

P.S: Este filme foi feito no mesmo ano que o “The Green Slime” (post: 16 Janeiro 2009)… e vejam bem as (gritantes) diferenças de qualidade e de bom gosto…

P.S.2: Um “sincero” pedido de desculpa ao “The Green Slime”… mas tu e o “De Lift” (post: 5 Janeiro 2009) estão sempre a levar (in)directas no meu blog… mas vocês também se meteram a jeito… ne?

________________________________________________________________________

Para ver mais textos longos sobre filmes… seleccione: Categoria –  Casual Cinema

Anúncios
03
Maio
09

Mother’s Day (1980)

Hoje é o dia da mãe (ia-me esquecendo…) e acho que é um bom dia para falar de um dos filmes mais indigestos e violentos que vi até hoje…! Este é daqueles filmes que deram há alguns anos na rtp por volta das 3 da manhã… e que acabei por o ver (estava muito cansado para apagar a tv… ou para me deslocar para a cama).

mothersday1

 Este filme realizado por Charles Kaufman, conta a história de três velhas amigas do tempo da escola, que vão todos os anos acampar num bosque (que bonito…), onde se divertem, bebem uns copos, nadam nuas no rio (aqui as coisas começam a ficar realmente bonitas…).  Este acampamento vai-se tornar um verdadeiro pesadelo, quando elas são capturadas por dois homens com fortes distubios mentais que têm o sequestro, violação e tortura de inocentes como principal passatempo (aqui as coisas começam a ficar menos bonitas...). Estes homens levam as três amigas para a sua casa isolada no meio do bosque, onde vivem com a sua mãe muito pouco convencional. Durante todo o filme… a “simpática” mãe incentiva os filhos a actos de sexo, violência e até mesmo ao homicidio (aqui as coisas já não estão mesmo nada bonitas…). Uma das jovens acaba por ficar gravemente ferida (vindo a falecer posteriormente…), enquanto as outras duas acabam por conseguir escapar daquela casa dos horrores. As duas fugitivas rapidamente se armam e preparam uma vingança sangrenta contra os dois homens e a sua querida mãe…002428_9

Foto: “I’m so proud of my boys, they never forget their momma.” (com uma mãe assim e a viver no meio do bosque… é dificil não ficar com passatempos muito esquisitos…)

O filme não teve muito sucesso no seu ano de estreia e foi fortemente criticado pelas cenas de violação, assim como por outras cenas de violência gratuita. Isto fez com que o filme fosse classificado com a categoria R (equivalente aos nossos M/18), ou que acabasse banido em muitos paises.

Trailer:

Seja como for… existem rumores/boatos que o realizador Brett Ratner (Hora de Ponta, X-Men 3) ja está a preparar uma remake deste pequeno clássico.

_________________________________________________________________________________

Para ver mais textos longos sobre filmes… seleccione: Categoria –  Casual Cinema

18
Abr
09

Piranha 2 – The Spawning (1981)

No seguimento do relativo sucesso de Piranha (1978), surge um filme que tenta ser uma sequela ainda mais aterradora e fantástica que o original… e a verdade é que consegue (mas não pelas melhores razões).

piranha2_thespawning

Comecemos pela tipica história habitual neste género de filmes, onde um clube paradisíaco a poucos metros da praia acaba por se tornar um verdadeiro pesadelo para os seus utentes (a maioria são turistas estupidos e broncos), devido à fome insaciavel de um grupo de piranhas com caracteristicas muito particulares.

E que caracteristicas particulares são estas??? Será que os peixes voam? Será que as piranhas respiram fora de água? Será que elas atacam imediatamente a jugular das vitimas de forma a serem devoradas num piscar de olhos? A verdade é que… as piranhas voam, respiram fora de águae atacam logo a veia jugular de forma a não darem a minima hipotese ás suas vitimas. Porque razão ter apenas peixes que voam (como se isso já n fosse assustador…) se podemos ter um 3 em 1? Monstros terrivéis… que fazem com que o Tubarão de Spielberg pareça um peixinho de coro…!

Como um filme de série B que se digne, este filme tem os ingredientes habituais do género, como uma má história, diálogos do piorio, e um evento que possa atrair muitos turistas para o local do filme. Neste caso… o evento chama-se… “Noite do Peixe Frito[pelo nome… tenho quase 100% de certeza que não me iam apanhar lá…]. As piranhas foram criadas por um bioquimico de forma a serem usadas como arma de guerra (muito provavelmente contra os Russos). Tem ainda personagens como o tipico dono que se recusa a cancelar a “Noite do peixe frito…”, velhas assanhadas que tentam “violar” os jovens salva-vidas, mulheres que procuram homens ricos, miudas que passeiam completamente nuas de barco e um tipo que pesca com… dinamite. Isto são apenas algumas das preciosidades que este filme tem… porque ainda tem mais… muito mais!

p2

Para percebermos melhor o tipo de filme de que estou a falar… basta ter em conta os primeiros minutos do filme, onde um casal de mergulhadores está a visitar os destroços de um navio naufragado e começam a fazer sex… amor… fazer amor debaixo de água, numa cena onde a mulher retira o bikini e rasga com uma faca os calções do companheiro, e com a emoção até retiram as máscaras e o tubo de oxigénio (continuam debaixo de água…) e são assim supreendidos pelas piranhas. Ainda não percebi se eles estavam a cometer um suicidio colectivo e morreram afogados… ou se foram mesmo as piranhas que os mataram.

Deixo aqui uns videos que valem mesmo a pena serem vistos:

Cena emblemática é a cena em que uma funcionária da morgue é atacada (na morgue…) por uma piranha que sai da barriga de um corpo:

We Want fish (vejam a partir do 1:30m…):

Não restam duvidas que muitas leis da Natureza foram desafiadas neste filme…

E quem foi o realizador de tal disparate? Aposto que nunca mais o deixaram realizar nenhum filme para o bem da humanidade (e das piranhas)… certo? Mas a prova de que nem sempre de pequenino se torce o pepino… foi dada neste filme realizado por James Cameron (Terminator, Aliens, The Abyss,  True Lies e Titanic). Nem todos começamos as nossas carreiras por cima… mas mesmo assim… que forma disparatada de começar a carreira 🙂

Curiosamente… a produção nem conseguiu chegar a um nome para filme. O filme começa como Piranha 2 – The Spawing… e nos créditos finais acaba como Piranha 2 – Flying Killers…!

_________________________________________________________________________________

Para ver mais textos longos sobre filmes… seleccione: Categoria –  Casual Cinema

08
Abr
09

Le Voyage dans la Lune

Este é um filme baseado na novela “From the Earth to the Moon” de Julio Verne e “The First Men in the Moon” de H. G. Wells. Foi produzido e realizado pelo francês George Méliés no ano de 1902, com 8 minutos de duração. Méliés tambem desenhava o guarda-roupa, os cenários, criava os efeitos especiais e fotografava. “Le Voyage dans la Lune” tornou-se o primeiro filme da história do cinema a usar e abusar de efeitos especiais, assim como a falar de seres extra-terrestres.

Esta curta mostra a visão fantasiosa que os homens tinham do satélite da Terra no inicio do séc XX. O filme mostra um grupo de astrónomos que vai à Lua numa cápsula lançada por um canhão gigante. Uma vez na lua são capturados pelos seres que lá habitam, conseguido posteriormente fugir e regressar ao planeta Terra.

voyage-lune-1902poster1 O filme tem algumas preciosidades como o facto de os homens serem disparados em direcção à lua, o facto de no inicio do seculo XX haver oxigénio e gravidade na lua… o que explica a existência de indígenas na lua…! A forma como eles regressam à Terra é simplesmente genial… 🙂

Deixo aqui a totalidade do filme. Acho que deviam perder 8 minutos a ver este filme, pois é dos filmes mais importantes da história:

Para um filme que tem mais de 100 anos… não está mesmo nada mal. Esta curta inclui várias experiências com algumas das mais famosas técnicas cinematográficas como a sobreposição, fusão e exposição multipla de imagens. Este filme envergonha o The Green Slime que foi realizado 66 anos depois…! Shame on you Green Slime…

12
Mar
09

Piranha (1978)

Hoje vou falar de um clássico de terror série B, ao melhor estilo dos USA.

Em 1975, Steven Spielberg e o seu Tubarão (Jaws) faziam furor pelo mundo (enquanto iam tirando muitos banhistas da água…) e logo começaram a surgir filmes com predadores com tendências assassinas como, abelhas, crocodilos, cães, aranhas, formigas e piranhas e derivados.

piranha-shark

Em 1978, Roger Corman (uma espécie de papa dos filmes de terror série B americanos) na onda oportunista do filme  de Steven Spielberg… decidiu entregar a realizaçao de um filme de terror sobre um animal feroz e esfomeado ao jovem realizador Joe Dante, que com 22 dias de filmagens, um orçamento minusculo, actores canastrões, roteiro de trazer pelo wc e uma abundância nada saudavel de efeitos “especiais”… conseguiu fazer um filme sobre piranhas assassinas (elas nunca foram muito sociaveis) que se tornou um clássico do genero (enquanto iam tirando banhistas para fora das águas fluviais…).

Trailer:

A história:

Ao investigar o desaparecimento de um casal de adolescentes, uma detective (desmiolada com a mania que é esperta) e um guia florestal (bronco com a mania que é esperto) acabam por libertar para o rio local, várias piranhas alteradas geneticamente de uma piscina localizada num daqueles laboratorios ultra secretos do governo norte- americano. [acho que as piranhas iam combater os russos durante a guerra fria… e estes pelos vistos iam contra atacar com caviar mutante…].

A nossa dupla de herois tem que correr contra o tempo, e avisar a comunidade local do perigo que correm, assim como a comunidade de férias que se situa ao pé do rio… além disso… seria castastrófico se as piranhas chegassem ao mar aberto(?)… [NOTA: as piranhas são peixes de água doce… mas são pormenores irrelevantes na trama].

Como é habitual, os politicos locais (gente culta…) não acreditam na história e lá começa o banquete dos nossos protagonistas dentuços. É de salientar que as piranhas devoram as pessoas conforme a sua importância na história… assim temos banhistas/figurantes que são devorados em segundos… como temos personagens que são devorados em minutos. Temos todos os tipos de vitimas… mas as preferidas são as jovens de 20 anos (hoje com 50…) com bikinis e fatos de banho ao bom estilo dos finais dos anos 70. Nos efeitos especiais… temos um zumbido que surge com as piranhas (ao melhor estilo do The Green Slime…), muita tinta vermelha (talvez grosselha) na água, cardumes estáticos que se movimentam a alta velocidade… entre muita coisa.

Chegada a Lost River Lake:

Seja como for… é considerado um filme de culto e um dos melhores do seu género (trash) e o Steven Spielberg em vez de acusar e processar Dante de plágio… acabou por o convidar para realizar alguns dos seus projectos como Gremlins (1984) e o Micro-Heroi – Innerspace ( 1987).

Piranha (1978) foi um filme que custou cerca de 800 mil doláres, e obteve cerca de 30 milhões nas bilheteiras… o que fez com que fosse o filme mais rentavel da produtora New World durante muitos anos.

piranha-poster-722835

[Depois de ver o que ela tem entre as pernas… fiquei com vontade de comer batatas fritas onduladas da Matutano…! Isto dava mesmo uma boa publicidade de batatas fritas… apenas trocava a cara do peixe pela cara de um jovem em plena puberdade…]_________________________________________________________________________________

Para ver mais textos longos sobre filmes… seleccione: Categoria –  Casual Cinema

11
Fev
09

Colossus: The Forbin Project

Eu não ando sempre a dizer mal e a mandar piadas acerca de  filmes, com elevadores e seus problemas existenciais, de E.T.’s com apenas um olho e de monstros que resolvem sair do armário…! Eu também sou capaz de  julgar um bom filme.

 Hoje vou falar de um filme realizado por Joseph Sargent: Colossus: The Forbin Project (1970).

colossus_the_forbin_project

Durante a Guerra  Fria, os EUA colocam o Colossus (um super-computador de inteligência artificial) a gerir todo o seu sistema de defesa nuclear. Esse super-computador foi projectado pela equipa do Dr.Charles Forbin (Eric Braeden). No momento que inicia a sua actividade, o Colossus detecta  um outro super-computador (Guardian) semelhante a ele e de origem Russa.

Esses dois computadores começam a comunicar entre si (sempre monitorizados pelos cientistas através de um grande ecrã), começam a partilham informações através de simples formulas matemáticas e vão começando a passar cada vez mais informaçao através de formulas matemáticas cada vez mais complexas, passando a comunicar através de uma linguagem binária que os cientistas não conseguem decifrar. Isto leva a que os cientistas, juntamente com o Presidente Americano fiquem preocupados (e os homologos Russos respectivos também) e que ambos os lados decidam quebrar a ligação entre os dois computadores.

Uma vez quebrada a ligação, o Colossus e o Guardian exigem o restauro da ligação… que ao ser ignorada pelos cientistas faz com que o Colossus envie um missil para a Russia e Guardian envie um missil para os EUA. Os cientistas restauram a ligação ainda a tempo de o Colossus impedir que o missil Russo caia em território Americano… mas não conseguem impedir o missil Americano de atingir uma zona da Russia. Os cientistas ficam assim impotentes a ver ambos os computadores a trocar informação entre si até receberem a noticia que o Guardian e o Colossus se juntaram (passaram a ser um só). A Guerra Fria passa a ter os EUA de um lado, os Russos do outro… e o super-computador pelo meio (e com a capacidade de comandar todo o arsenal Nuclear do mundo).

20080808203439colossus_the_forbin_project_movie_poster

Os cientistas tentam contra-atacar, inicialmente tentam sobrecarregar o sistema do computador… sem sucesso… e este ao aperceber-se, manda executar os responsaveis pela ideia (caso não fossem executados… iria fazer explodir uma ogiva nuclear).  A cena da execução é memorável… e o computador obriga a que ninguem retire os corpos do local após a execução durante  24horas… para que todos se lembrem do que acontece a quem contrariar as suas ordens.

colossus03

Com medo dos poderes que o super-computador estava a adquirir, os cientistas tentam o desmantelamento manual dos misseis nucleares de todo o mundo (ia demorar cerca de 3 anos…) mas o computador ao aperceber-se dessa tentativa, faz explodir duas ogivas nucleares. Após este momento o computador comunica a todo o mundo (através da TV e da rádio) que ele é o Dono do Mundo, e que com ele não haverá mais guerra, fome, injustiças sociais… etc e tal. O computador acredita que consegue preservar melhor o futuro da humanidade, do que ela própria.

O filme acaba com um dialogo marcante entre o Colossus e o Dr. Forbin.

Trailer:

Como devem calcular, este filme tem aquele que é considerado um dos melhores (senão o melhor)  “computador-vilão” do século XX, e serviu de inspiração a filmes como War Games (1983) e Eagle Eye (2008).

colossus04

Ahhh… quero deixar aqui uma palavra acerca do realizador, Joseph Sargent, que com 83 anos ainda está em actividade. Este realizador não fez muitos filmes para cinema, mas tem uma longa carreira com muitos e bons tele-filmes (ex: Warm Springs – 2005)… mas este senhor tambem fez um filme em 1987 chamado Jaws 4 – The Revenge… (que foi… pensaram que eu ia apenas falar bem???? Não consigo… é mais forte do que eu…).

Já agora… alguem conseguiu ler o post até aqui? Se sim… mencionem algo sobre esse facto num comentário 🙂

 P.S:

Para o Michael Caine: – Não penses que me esqueci que também lá estavas… (no Jaws 4 – The Revenge…)

22
Jan
09

Monster in the Closet

Há uns anos atras, enquanto estudava a altas horas da noite (pois…) deu um filme na TV que mudou a minha vida… tal a qualidade da sua história, das suas tomadas de vista… e dos seus efeitos (custa-me dizer… especiais)!

Esse filme foi o Monster in the Closet (1986):

410px-monsterintheclosetdvd

Na cidade de S. Francisco começam a acontecer várias mortes, que têm em comum o facto de serem nos armários das vitimas. Um jornalista ao investigar essa história, acaba por se aliar a um xerife, uma professora de biologia e a um cientista (daqueles mesmo bons… com Nobel e tudo) na busca da verdade… até que se deparam com o MONSTER IN THE CLOSET. Este decide sair do armário e torna-se um perigo nacional (nacional nos USA…).

Deixo aqui o trailer desta perola dos anos 80:

Pessoalmente gosto:

– Do barulho do monstro quando ataca nos armários no inicio do filme (parece o barulho de um gato a levar um pontapé) acompanhado das roupas a serem projectadas do armário.

– O poster com o sex symbol do Burt Reynolds num dos quartos :p hmmm… hmmm… ;p um MUST (prometo que qualquer dia meto esse poster aqui… LOL)

– Da parte em que um ceguinho entra no armário à procura do cão (e este está pendurado na porta sem vida)… e quando se apercebe do monstro diz:”Tu não és o meu cão…!!!”.  (E começa o “esganar” do gato e as roupas pelo ar…)

– Da entoação dramática da voz que narra o trailer quando aparece o titulo “Monster in the closet” (melhor que o do The Green Slime…)

– Da parte em q todos destroiem os armários para salvarem o mundo… (no comments)

– A cena em que o monstro tem um tipo ao colo como se fosse a cinderela (de desconfiar…).

monstercloset6001981_14monstercloset7

De salientar que a pita de rosa e com cara de chata é a Fergie (Black Eyes Peas) e o miudo de óculos, é o Paul Walker (Fast and Furious). Não sei… é se prefiro os monstros do The Green Slime ou se prefiro este… 🙂

NOTA: Já falei também neste blog de clássicos, como De Lift (dia 05/Jan/2009) e The Green Slime (dia 16/Jan/2009).




RECOMENDAÇÕES

Visitem a categoria: CASUAL CINEMA
Novembro 2017
S T Q Q S S D
« Mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

My Twitter Space